Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 18 de maio de 2010

ACERTE NO ALVO!


Acerte no Alvo

Você quer ter uma saúde equilibrada?
Você quer ter mais dinheiro?
Quer paz interior?
Felicidade?
Os grandes mestres de todos os tempos, após analisar o ”modus operandi” das Leis Universais foram unânimes em afirmar:
Querer é poder.
Seja feita a tua vontade.
Pede e ser-vos-á dado.
Quem acredita sempre alcança.
Você tem o poder de criar, à maneira de Deus.
Você pode curar a sua vida.
Pode quem pensa que pode.
Então, por que será que você não tem ainda aquilo que deseja com tanta veemência?
A resposta pode ser simples, curta e grossa: aquilo que você quer não está em sintonia com aquilo que você sente. O desejo pode ser alimentado ou aniquilado pelo sentimento que o segue.
O sentimento ou a emoção é, na verdade, a chave do segredo no processo criativo. Então, para ser feliz, é necessário cultivar um sentimento de felicidade; para restaurar a saúde é necessário sentir-se bem... E, isso nem sempre é fácil. É difícil remover padrões fixados no subconsciente ao longo de anos. Quase sempre sabotamos, continuamente, nossa força criadora, reproduzindo o padrão antigo que nos mantém sempre no mesmo lugar.

Você pode desejar a mudança, mas há uma força emotiva muito mais forte do que o desejo de mudar que acaba mantendo-o amarrado aos seus padrões atuais. Pode ser uma crença limitadora, imposta pelo meio que o cerca, pode ser um sentimento negativo enraizado em uma instância muito profunda do seu ser. Não importa o que seja e onde esteja o sentimento limitante. O que Importa é eliminá-lo aqui e agora.
Como?
Calma!
Existe saída!
Aliás, existem muitas saídas.

Um orientador espiritual poderia ajudá-lo. Um bom psicólogo também poderia ser eficaz. Saiba, porém, que agentes externos serão apenas coadjuvantes no processo de regeneração interna. O ator principal da sua vida será sempre você. Pensando nisso, sem ter a pretensão de ser um "Salvador", apresento nas linhas a seguir, uma metodologia que pode ser muito eficaz na concretização das mudanças que você deseja para sua vida.

Estabeleça metas e priorize-as.
Quando você se foca em algo com intensidade, a natureza agregadora do seu ser tende a se alinhar a tudo o que esteja relacionado a esse algo. E, tudo o que seja contrário a isso, vai perdendo energia por falta de foco. No começo pode parecer um esforço tolo, principalmente se as metas estiverem muito distantes de sua realidade atual.

Estabelecer a meta de atingir a prosperidade em estado de extrema necessidade, por exemplo, pode gerar um conflito interno muito grande que anula todo o processo criativo. Então, centralize sua atenção em algo positivo que esteja próximo de sua realidade. Porém, sempre à frente, mais adiante.
Imagine-se dirigindo um automóvel em uma noite escura. Apesar do foco do farol do automóvel alcançar apenas cerca de duzentos metros, você pode fazer um longo percurso simplesmente pelo fato de que segue sempre adiante, sem perder o foco. Assim é a vida.
Olhe através de sua visão interior e perceba o que você tem agora. Seja grato por isso e siga em frente, acreditando e imaginando uma ampliação constante do seu foco de perspectivas e possibilidades. Essa ampliação pode ser trabalhada aos poucos, através de medidas simples, mas que podem fazer uma tremenda diferença.

Quando caminhamos, geralmente temos a tendência de olhar as coisas à nossa volta, bem perto. Experimente ampliar seu campo de visão, olhando para a paisagem mais distante. Isso pode parecer algo insignificante, mas se você persistir nessa ampliação de foco de visão, coisas surpreendentes passarão a acontecer. É verdade!

Observe as pessoas deprimidas ou melancólicas. Elas estão sempre cabisbaixas, olhando para o chão. Pessoas felizes e bem sucedidas por outro lado, tem um campo de visão mais ampliado. Isso é notório. Basta observar com atenção. Amplie a sua consciência.

Um passo importante para ampliação da consciência se faz através da detecção e eliminação - uma a uma - das suas crenças limitadoras. Não posso enumerá-las aqui porque são muitíssimas. Vou citar apenas alguns exemplos:
a) O João deseja ser rico, mas aprendeu com seus pais que o dinheiro é mau. O Jefferson deseja ardentemente prosperar e até faz afirmações positivas diariamente, mas sente inveja do sucesso do seu amigo Ricardo. Antonio acredita que haja maior virtude na pobreza e pensa que não merece muito. Ilda vive cercada de pobreza e isso é uma circunstância tão consistente que anula totalmente seus desejos de crescimento. Resultado: João, Antonio, Jefferson e Ilda tentam, mas não conseguem prosperar.
b) Maria está doente e, obviamente, quer recuperar a saúde, mas ouviu dizer que ainda não há cura para o mal que a aflige. Joana quer recuperar a saúde perdida, mas pensa que está nessa situação para pagar os pecados. Carlos quer se curar, mas mantém a energia da doença pelo foco de atenção que dispensa a ela, em virtude do incômodo constante que a mesma provoca. Resultado: os três já tentaram de tudo, mas não conseguem se curar.
c) Pedro deseja ser feliz, mas não perdoa Ana porque essa o deixou para ficar com seu melhor amigo. Ana por sua vez, deseja ser feliz com seu novo amor, mas ele é possessivo igual a Pedro. Ela atrai sempre parceiros possessivos porque padronizou essa tendência nos níveis mais profundos do seu subconsciente e é extremamente infeliz por isso.

Os exemplos acima são fictícios, mas acontecem o tempo todo com pessoas que se focam em algo negativo; sem muita relevãncia no princípio, mas que, aos poucos, vai se ampliando e dominando áreas do subconsciente, estabelecendo-se como parte integrante do ser. Inconscientemente, tais pessoas criaram crenças limitadoras que perpetuam um sofrimento constante que só pode ser eliminado mediante uma mudança radical nos seus paradigmas.

Se você também quer se libertar de circunstâncias negativas que se repetem como se fosse "coisa do destino", comece agora a pesquisar sua própria mente. Verifique seus padrões de pensamento atuais. Mude o foco de tudo que é negativo para algo bom e construtivo. Agora! Não espere para começar a agir amanhã porque o amanhã nunca chega.

Estabeleça o alvo ou os alvos. Foque-se, o maior tempo possível, nele(s) e seja persistente nessa nova postura, porque os padrões negativos que estão enraizados no subconsciente, dificilmente serão aniquilados, se não houver determinação. Isso pode parecer difícil, mas logo você perceberá que não é bem assim. Em muito pouco tempo, sua persistência produzirá os primeiros frutos que, geralmente, aparecem logo nos primeiros dias. Uma sensação de euforia generalizada será sentida logo no início, quando alterar o foco, do negativo para o positivo. Tal sensação é um indicativo de que agora você está nadando a favor da correnteza das águas da vida. É tão simples assim!

Leia atentamente estes textos do escritor Paulo coelho. São maravilhosos e nos ensinam os segredos da persistência focalizada em nossos objetivos:

O ARCO
O arco é a vida: dele vem toda a energia. A flecha irá partir um dia. O alvo está longe. Mas o arco permanecerá sempre com você e é preciso saber cuidar dele. Precisa de períodos de inação, uma vez que, um arco que sempre está armado, em estado e tensão, perde sua potência. Portanto, deixe-o repousar, recuperar sua firmeza: assim, quando você esticar a corda, ele estará contente e com sua força intacta. O arco não tem consciência: ele é um prolongamento da mão e do desejo do arqueiro. Serve para matar ou para meditar. Portanto, seja sempre claro em suas intenções.
Um arco tem flexibilidade, mas também tem um limite. Um esforço, além da sua capacidade, irá quebrá-lo ou deixar exausta a mão que o segura. Portanto, procure estar em harmonia com o seu instrumento e não exigir mais do que ele pode lhe dar.
Um arco está repousando ou estendido na mão do arqueiro: mas a mão é apenas o lugar onde todos os músculos do corpo, todas as intenções daquele que atira, todo o esforço para o tiro está concentrado. Portanto, para manter com elegância o arco aberto, faça com que cada parte dê apenas o necessário e não disperse suas energias. Assim, você poderá disparar muitas flechas sem se cansar. Para entender seu arco, ele precisa passar a fazer parte do seu braço e ser uma extensão do seu pensamento.

A FLECHA
A flecha é o intento.
É o que une a força do arco com o centro do alvo.
O intento tem que ser cristalino, reto, bem equilibrado.
Uma vez que ela parte, não voltará, então é melhor interromper um tiro – porque os movimentos que o levaram até ele não estavam precisos e corretos – do que agir de qualquer maneira, só porque o arco já estava retesado e o alvo estava esperando.
Mas jamais deixe de soltar a flecha se a única coisa que o paralisa é o medo de errar. Se fizer os movimentos corretos, abra sua mão e solte a corda. Mesmo que ela não atinja o alvo, você saberá corrigir sua pontaria da próxima vez.
Se não arriscar, jamais saberá quais as mudanças que eram necessárias.
Cada flecha deixa em seu coração uma lembrança – e é a soma destas lembranças que fará você disparar as suas flechas, cada vez melhor.

O ALVO
O alvo é o objetivo a ser alcançado.
Foi escolhido pelo arqueiro, mas está distante, e não podemos jamais culpá-lo quando não é atingido. Nisso reside a beleza do caminho do arco: você não pode jamais desculpar-se, dizendo que o adversário era mais forte.
Foi você que escolheu seu alvo, e é responsável por ele.
O alvo pode ser maior, menor, estar a direita ou a esquerda, mas você tem que sempre colocar-se diante dele, respeitá-lo, e fazer com que ele se aproxime mentalmente.
Só quando ele estiver na ponta de sua flecha, é que você deve soltar a corda.
Se você olhar o alvo como inimigo, poderá até mesmo acertar o seu tiro, mas não conseguirá melhorar nada em você mesmo. Passará sua vida tentando colocar apenas uma flecha no centro de uma coisa de papel ou madeira, o que é absolutamente inútil. E quando estiver com outras pessoas, viverá reclamando que não faz nada de interessante.
Por isso, você precisa escolher seu alvo, dar o melhor de si para atingi-lo, e sempre olhá-lo com respeito e dignidade: precisa saber o que ele significa e quanto custou do seu esforço, do seu treinamento, da sua intuição.
Ao olhar o alvo, não se concentre apenas nele, mas em tudo que acontece ao seu redor. Assim, porque a flecha, ao ser disparada, irá encontrar-se com fatores que você não conta, como o vento, o peso e a distancia.
Você tem que entender o alvo. Precisa perguntar constantemente: “se eu sou o alvo, onde estou? Como gostaria de ser atingido, de modo a dar ao arqueiro a honra que ele merece?”.
Porque um alvo só existe na medida em que o arqueiro existe. O que justifica a sua existência é o desejo do arqueiro de atingi-lo, ou ele seria uma coisa morta, um pedaço de papel ou madeira, em que ninguém prestaria atenção.
Assim, da mesma maneira que a flecha busca o alvo, o alvo também busca a flecha, porque é ela que dá sentido a sua existência e, então, já não é mais o papel, mas o centro do mundo de um arqueiro.
Fragmentos do texto: “O caminho do arco”, de Paulo Coelho.

Resumindo:
O arco pode ser o seu subconsciente e não tem consciência própria. Ele é um prolongamento da mão e do desejo do Arqueiro. Portanto, seja sempre claro em suas intenções. A flecha é a sua intenção que deve ser simétrica, reta e bem equilibrada. Por fim, o alvo é o objetivo a ser alcançado. Foi escolhido por você. Nisso reside a beleza do caminho do arco: você não pode jamais desculpar-se, dizendo que o adversário era mais forte. Foi você que escolheu seu alvo e é responsável por ele. Você tem que estudar, analisar e entender o alvo.
Lembre-se: seu alvo só existe porque você existe. Assim, da mesma maneira que a flecha busca o alvo, o alvo também busca a flecha, porque é ela que dá sentido à sua existência.
É isso, meu amigo, minha amiga.
Você é o arqueiro no bom combate que trava ao longo da existência. Então, antes de agir em busca dos seus objetivos, leve em conta essas considerações importantes:
Sou o arqueiro e o arco.
Qual é o meu alvo?
Ou:
Quais são meus alvos principais?
Que intenções eu devo ter para - com elas - construir a minha flecha?
Como trabalharei persistentemente para atingir o alvo com minha flecha?
Pense em tudo isso agora. E, comece a agir agora, ciente de que você pode estabelecer metas grandiosas e pode atingi-las, sempre que se dispuser a trabalhar persistentemente, com objetivos definidos e bem elaborados, alimentados por emoções centralizadas em foco.
Ajude-nos a disseminar idéias que constroem. Envie o texto desta página para alguém que você estima. AJUDE!




TENHAM UM DIA ABENÇOADO!!!